Câncer de próstata: menos biópsias e mais eficazes

evitar-biópsia-próstata

De cada 100 pacientes com suspeita de câncer de próstata (PSA elevado e/ou toque retal suspeito), que submetemos à biópsia de próstata clássica (dirigida por ultra-som) somente nós diagnosticamos câncer de próstata em cerca de 35% dos casos. É dizer, em 65% das biópsias de próstata não nós diagnosticamos câncer e nós submetemos o paciente a um procedimento invasivo, não isento de complicações.

É preciso selecionar os pacientes que vamos submeter à biópsia de próstata e também é necessário melhorar a técnica da biópsia, para torná-la mais eficaz.

Este artigo está escrito em Julho de 2018 por Dr. Luis Rodríguez-Vela, diretor do Instituto de Urologia e Medicina Sexual de Saragoça e Professor de Urologia da Universidade. Sou especialista em Urologia desde 1988, especialista em Urologia do Homem. Tenho mais de 30 anos diagnosticando e tratando doenças da próstata.

Como podemos selecionar melhor os pacientes que necessitam de biópsia de próstata?

Em primeiro lugar, temos o Teste Select MDx que se realiza na urina do paciente após uma massagem de próstata. Nesta urina são determinados dois bio-marcadores tumorais que combinados com parâmetros clínicos (idade, PSA total, volume da próstata, toque retal e antecedentes familiares de Ca P) oferece-nos uma pontuação que permite selecionar os homens com maior risco de desenvolver câncer de próstata de alto grau

No Instituto de Urologia e Medicina Sexual de Saragoça, em pacientes com alto risco de apresentá-las a realização de uma ressonância magnética multíparamétrica que nos indica se existem zonas suspeitas de câncer. Em homens com baixo risco (Teste Select MDx) de apresentar câncer de próstata, poderemos evitar a biópsia.

Este Teste Select MDx, também chamado de biópsia líquida, ajuda a identificar homens com alto risco de câncer de próstata agressivo. Este teste forneceu um valor preditivo negativo de 98% para doença clinicamente significativa e ajuda a diminuir a necessidade de RMN e/ou biópsia de próstata.

Em 2º lugar, temos a RMN de multiparâmetros que nos fornece informações sobre:

  • a presença de áreas suspeitas de câncer de próstata.
  • o tamanho e a localização aproximada do câncer.
  • e o grau de agressividade do câncer.

Recentemente foi publicado na prestigiada revista The Lancet, o estudo PROMIS (Prostate M R Imaging Study) que foi investigado se a RMN-mp da próstata antes da biópsia pode excluir com segurança a presença de um câncer de próstata significativo (alto grau) e evitar a realização da biópsia (Hashim e cols).

Os resultados do estudo PROMIS demonstraram que a RMN-mp é duas vezes mais sensível do que a biópsia clássica (guiada por ultra-som) para detectar câncer de próstata.

Neste estudo, a ressonância magnética mp teve um valor preditivo negativo de 89% e permitia evitar biópsia de próstata 27% dos pacientes.

Como podemos melhorar a eficácia das biópsias de próstata?

A biópsia de próstata guiada por fusão (RMN-ultra-som) consiste em realizar uma fusão das imagens obtidas por ressonância magnética-e as que nos oferece a ultra-sonografia em tempo real. As imagens que temos obtido por RMN nos marcam as áreas suspeitas de abrigar câncer de próstata.

Desta forma, as imagens de RMN são como um browser que nos indica as áreas com maior probabilidade de abrigar câncer de próstata e realizaremos biópsias destas áreas suspeitas.

biópsia-câncer-próstata

Na imagem, a área marcada em vermelho é a área onde a ressonância magnética, indica-nos que existe alta suspeita de abrigar Ca P.

Em um estudo do Instituto Nacional de Câncer (U. S. A., Siddiqui MM e cols. analisaram 1.003 homens com suspeita de câncer de próstata, para os quais foram realizadas as duas técnicas: a biópsia tradicional e de fusão. A conclusão do estudo foi que , com a biópsia de fusão foi diagnosticado com um 30% a mais de tumores agressivos que com a biópsia clássica.

Em outro estudo (Hambrock T. E cols), 59% dos homens que haviam realizado anteriormente 2 ou mais biópsias dirigidas com ultra-som e tinham resultado negativas, ao praticar uma Biópsia guiada por Fusão foram diagnosticados de câncer.

A realização da biópsia fusão (RMN-ultra-som), com a ajuda de um modelo, é oportuno realizar biópsias de diferentes áreas da próstata. A biópsia das áreas suspeitas e o mapeamento de toda a próstata nos permitirá saber:

  • se existe um câncer ou não.
  • o tamanho e localização aproximados do tumor.
  • se existe apenas um foco canceroso ou é multifocal.

Estes dados são muito importantes na hora de planejar o tratamento do câncer de próstata(vigilância ativa, tratamento focal, intervenção cirúrgica ou radioterapia).

A modo de resumo:

  • Diante de suspeita de câncer de próstata podemos selecionar melhor os doentes candidatos a biópsia através do Teste Select MDx e/ou ressonância magnética.
  • O Teste Select MDx nos identifica homens com risco elevado de desenvolver câncer de próstata agressivo.
  • A RMN mp é duas vezes mais sensível do que a biópsia clássica parta detectar Ca P e reduz o número de biópsias em 27%.
  • A biópsia de próstata por fusão RMN-ultra-som permite diagnosticar 30% a mais de tumores agressivos que a biópsia clássica.




Câncer de próstata: menos biópsias e mais eficazes
Rate this post
Testosterona e performance Sexual
10 dietas para emagrecer em 2018

Deixe uma resposta

Your email address will not be published / Required fields are marked *